Início

Bem vindos à nossa escola

JUNTOS PARA AJUDAR A CRESCER

A chegada de um novo ano letivo traz uma lufada de ar fresco. A escola, silenciosa até então, enche-se de cor, som e movimento, um vai e vem de gente jovem cheia de entusiasmo e de planos de sucesso a fazer-nos acreditar num futuro melhor.

É isto que nos dá alento para prosseguir a nossa missão educativa, mas não podemos ter a ousadia de pensar que somos capazes de a concretizar

sozinhos, precisamos dos pais destes jovens, parceiros privilegiados nesta nossa missão de educar. E como parceiros que são, pais e professores devem unir esforços, partilhar objetivos e reconhecer a existência de um mesmo bem comum para os alunos.

Não nos restam dúvidas de que os pais são os primeiros educadores dos jovens e que, ao longo de toda a sua escolaridade, continuam a ser os principais responsáveis pela sua educação e bem-estar. Mas é através desta parceria que se constroem alicerces seguros que farão com que os nossos jovens consigam desempenhar o seu papel na vida de uma forma mais segura e motivada.

Os professores desta escola querem ajudar e acompanhar não só os alunos como também os encarregados de educação, fornecer pistas educativas e sugestões que facilitem a difícil missão dos pais de hoje, com vista a que possam perceber as dificuldades e lacunas dos seus filhos nas várias disciplinas e também no seu relacionamento dentro da escola.

Aqui fica o convite: Venham à escola dos vossos filhos, conheçam os seus professores, participem nas atividades por eles e para eles realizadas, façam ouvir as vossas opiniões, sejam uma voz ativa dentro da escola!

Tanto os professores como os pais e sobretudo os alunos teriam muito a ganhar com uma colaboração genuína, a relação escola família tornar-se-ia um pouco mais próxima e promotora de uma saudável construção relacional.

Mensagem aos pais

A vocês, que nos deram a vida e nos ensinaram a vivê-la com dignidade, não bastaria um obrigado. A vocês, que iluminaram os caminhos obscuros

com afeto e dedicação para que os trilhássemos sem medo e cheios de esperanças, não bastaria um muito obrigado. A vocês, que se doaram inteiros e renunciaram aos seus sonhos, para que, muitas vezes, pudéssemos realizar os nossos. Pela longa espera e compreensão durante nossas

longas viagens, não bastaria um muitíssimo obrigado. A vocês, pais por natureza, por opção e amor, não bastaria dizer, que não temos palavras para agradecer tudo isso. Mas é o que nos acontece agora, quando procuramos arduamente uma forma verbal de exprimir uma emoção ímpar. Uma emoção que jamais seria traduzida por palavras.